Método de Treinamento Corpo Presente


“...no Corpo Presente, o pensamento é outro: consideramos que se o corpo for estimulado em sua potência, ele se revitalizará a cada movimento”

TUTTI MADAZZIO



Tutti Madazzio, dançarina, profissional da Dança, graduada em 1992 pela Universidade Estadual de Campinas, Mestra em Artes pela Universidade São Paulo, com a pesquisa“O Voo da Borboleta – A obra cênica de José Agrippino de Paula e Maria Esther Stockler”. Atuante na dança desde 1985 até os dias de hoje, desenvolvendo o encontro com o outro através da descoberta do corpo, do movimento e da expressividade.


Para apresentar o Método de Treinamento Corpo Presente precisarei antes fazer uma breve introdução, a fim de que o leitor possa compreender o contexto em que o trabalho foi sendo construído. O tempo é uma das matérias importantes para a sua construção e hoje chega até aqui: ponto que apresentarei. Contudo, sei que o trabalho seguirá seu caminho, como um processo vivo.

Há mais de 30 anos, venho desenvolvendo meu trabalho na linguagem da dança. E, nesse tempo, foram inúmeras experiências, dançando e sendo uma “professora-orientadora”, que pude vivenciar. Aos poucos, um olhar cada vez mais aguçado sobre o corpo e sua estrutura foi sendo construído. Foi através de recursos técnicos, porém sensíveis, que minhas observações e orientações puderam colaborar com o desenvolvimento de saúde corporal, entre aqueles que pude atender e conviver.

Mas, afinal, o que é o Método de Treinamento Corpo Presente?

Em linhas gerais, trata-se de acordar o corpo, utilizando a maior possibilidade de cada articulação da estrutura corporal, estimulando o que entendemos por “espaço interno”, e sua projeção no “espaço externo”.

Acontece que, em nossa rotina diária, limitamos nossos movimentos, nossos gestos, e acabamos por desenvolver rigidez muscular, que, aos poucos, vão se transformando em dores, em lesões, podendo, em situações mais críticas, chegar à perda de mobilidade. Não é incomum, relatos de indicação de cirurgia para problemas em que o simples movimento teria evitado.

Somos seres de movimento, nos deslocamos. Diferentemente dos reinos mineral e vegetal, precisamos nos deslocar constantemente. Porém, ao limitarmos nosso espaço de deslocamento ativo, inibimos nosso corpo, nossas articulações, reduzindo drasticamente seu potencial.

Muitos acreditam que o corpo, no decorrer dos anos, vai se desgastando, no pior sentido do termo. Como se o envelhecimento estivesse diretamente ligado à impotência ou incapacidade. De tanto acreditar, isso realmente acaba acontecendo.

Porém, no Corpo Presente, o pensamento é outro: consideramos que se o corpo for estimulado em sua potência, e isso significa articulações, nosso corpo se revitaliza em cada movimento. Isso, porque nossos tecidos articulares são hidratados, oleados.

Outro ponto importante é que o foco do movimento não está na musculatura estriada, muito embora saibamos que ela age. Mas partimos das articulações e músculos lisos, tecidos de integração e sustentação interna do corpo. Desta forma o músculo perde excesso de tensão e ficamos com sua melhor parte: o uso adequado dessa musculatura que cede para o movimento ocorrer. Isso muda tudo!

Mas, para acessar esse movimento interno, é preciso trabalhar o movimento com consciência sensível. Daí passa-se a conhecer a estrutura, suas articulações (espaço interno), peso, volume corporal; ajustamos o nível de força em cada movimento, procurando o esforço necessário; inserimos o corpo no espaço externo (níveis baixo, médio, alto) onde esse corpo passa a habitar.

O desenvolvimento do trabalho, podemos remeter ao desenvolvimento de um bebê, quando nasce, ao engatinhar e ficar de pé. Aos poucos, vamos perdendo a relação viva com esses espaços. Já não abaixamos, e variamos entre o sentar, levantar e deitar, de forma até inconsciente. Esses movimentos são resgatados no Treinamento.

Então, basicamente, partimos da consciência da estrutura, articulações, e projetamos esse corpo no espaço externo, resgatando espaços e, portanto movimentos naturais do corpo, que já não exploramos mais.

Parece simples, e é. Mas deixamos o simples de lado para nos vincular a pensamentos cada vez mais “complexos”, e passamos a dar valor ao que não compreendemos, fazendo valer tudo o que nos torna mais distantes de nós mesmos e de nossas capacidades.

O Método de Treinamento Corpo Presente, quer trazer presença e saúde física, mental e estética (beleza) para a vida.

patriota.jpg

Roberto Losada Pratti

Presidente do IPOMATES